Pular para o conteúdo principal

SUPER-ALIMENTOS-ALIMENTAR-SE PARA REJUVENESCER-DAVID WOLFE



Por David Wolfe
Ontário - Canadá - Agosto 2010
Meu contato com o mundo da jardinagem usando pó de rochas moídas me mostrou pela primeira vez a conexão entre saúde, longevidade e minerais. A idéia básica é que a qualidade dos minerais determina a qualidade da consciência de quem vive e se alimenta dos produtos do solo.
Se vivermos em um solo deficiente em minerais, então é provável que soframos de pensamentos deficientes em minerais. Na verdade, toda a população provavelmente sofre de inúmeras maneiras invisíveis, até que nos tornamos conscientes do "fator mineral" na saúde.
Esta idéia alterou o sentido da minha vida. Eu estava ansioso, não só para experimentar novos alimentos que contivessem mais e melhores minerais, mas também impaciente para começar a cultivar alimentos em solos contendo todos os minerais necessários para uma vida saudável.
Isso foi há 20 anos e o meu entusiasmo nunca tem diminuído. Eu estou mais animado com os minerais agora do que nunca antes.
Durante minha carreira tenho escrito extensamente sobre os minerais, tanto referente à experiência de me alimentar com produtos ricos em minerais, bem como de minhas experiências agrícolas. Esta é uma área de pesquisa impressionante.
Estou particularmente orgulhoso do meu trabalho "Longevity NOW Program" (Programa de Longevidade Agora), da análise sobre os minerais que ali foi feita e da relação do consumo de minerais com a longevidade, a flexibilidade e a saúde em geral. Na segunda edição desta obra, adicionei assuntos sobre o poder curativo e nutritivo dos minerais. Mas não podia parar por aí! Devido ao fato de que os minerais são um tema tão importante e fascinante, seguem abaixo ainda mais informações cruciais sobre os minerais.
Eu sei que você vai desfrutar do conteúdo!
Introdução
"Deus dorme na pedra,
Respira nas plantas,
Sonha nos animais,
E acorda no homem ".
- Antigo provérbio hindu -
Os antigos hindus, assim como muitos outros povos do passado, perceberam a profunda importância das substâncias escondidas nas pedras. Estas substâncias mágicas, encontradas em nossas rochas e posteriormente no solo e que logo são absorvidas pelas plantas para finalmente serem conduzidas até nós, são conhecidas como os minerais.
Os minerais são os átomos que compõem a matéria plasmática sólida, líquida e gasosa. Alguns dos elementos mais populares contidos nos minerais, que todos nós temos ouvido falar são: cálcio, magnésio, potássio, sódio, enxofre, ferro, zinco, ouro, prata, cobre, e iodo. Foi o filósofo ateniense, estadista e orador Demóstenes, quem primeiro formulou a teoria atômica baseada na sua observação do desgaste gradual do mármore após centenas de anos. A partir desta observação, ele afirmou que todos os objetos sólidos, estavam compostos de partículas muito pequenas que ele chamou de átomos, e que hoje chamamos de minerais. Esta teoria levou à descoberta de que os minerais que formam a pedra são os mesmos encontrados também em nós, e todos os demais seres vivos.
Embora muitas pessoas sejam conscientes de que o organismo necessita de nutrientes para funcionar harmoniosamente, o grande foco está colocado sobre a necessidade de macronutrientes, como proteínas, gorduras e carboidratos. Poucas pessoas entendem o papel dos micronutrientes, como vitaminas, aminoácidos, polissacarídeos e minerais. Muito menos ainda é a percepção de que 95% de todas as funções do organismo dependem dos minerais. Os minerais orquestram a delicada bioquímica do nosso organismo.
A desmineralização da população humana tem sido cientificamente confirmada ao longo dos últimos 150 anos a qual está intimamente ligada com a saúde precária e as doenças. Desmineralização, neste contexto, significa não apenas a ausência em nosso organismo de importantes sais minerais que contêm elementos tais como cálcio, magnésio, ferro, enxofre e fósforo, e micronutrientes minerais como zinco, selênio, manganês e cobre, mas também o surgimento da toxemia, conseqüência da introdução na agricultura de pesticidas, herbicidas e compostos orgânicos voláteis.
Portanto, é imperativo, no ambiente atual, limitar nossa exposição a materiais tóxicos e reconstruir um organismo adequadamente mineralizado. Quanto maior a quantidade de material tóxico introduzido em nosso organismo, maior é a necessidade de um sistema imunológico saudável para combater estas substâncias que acabam com a vida. Uma mineralização adequada é fundamental para termos um sistema imunológico saudável – desta forma as substâncias minerais podem realmente nos desintoxicar.
Aqueles que começam a praticar uma alimentação natural, baseada em vegetais crus, muitas vezes expressam preocupação sobre a falta de uma boa quantidade de vitaminas, particularmente vitaminas do complexo B, no entanto os minerais são ignorados.
Ao consumir uma dieta baseada em vegetais crus, as vitaminas raramente são um problema. As vitaminas abundam nos vegetais preparados (kombucha, chucrute, kim-chi, etc) e também nos super-alimentos (goji bagas, cacau, maca, spirulina, chlorella, pólen de abelha, babosa, noni etc.), ricos em vitaminas A , B, C, E e K. Muitos super-alimentos, verduras e frutas são excelentes fontes de vitamina C. Quantidades adequadas de vitamina B podem ser encontradas em alimentos preparados, bem como em alimentos como nozes e sementes e em super-alimentos como pólen de abelha, geléia real e espirulina. Mesmo que os vegetais crus que consumimos não sejam de excelente qualidade, pelo menos estamos consumindo uma quantidade razoável de vitaminas. Os minerais, no entanto, são outra história.
Quase oitenta anos atrás, cientistas norteamericanos reconheceram que com a mudança das práticas na agricultura, os solos americanos se tornaram muito empobrecidos de minerais. E, tais solos só podem produzir alimentos empobrecidos de minerais para o ser humano e para os animais.
Na tentativa de remediar esta situação, o Congresso dos EUA foi informado deste problema, no entanto absolutamente nenhuma ação foi tomada. Como resultado da inação e da aplicação de técnicas fáusticas na agricultura que utilizam produtos químicos em forma indiscriminada, nos encontramos há 3 a 4 gerações com uma sobrecarga grave de toxinas e com uma crise alimentar provocada pela deficiência de minerais nos vegetais dos quais nos alimentamos.
Aplicando a lógica do princípio de que você é aquilo que come, o consumo de alimentos empobrecidos de minerais fatalmente produz uma população empobrecida de minerais, o que contribui para uma geração de indivíduos obesos que não conseguem parar de comer porque são incapazes de obter os minerais que fecham o apetite, como o magnésio.
Felizmente, sempre houve grupos de agricultores radicais que entenderam as necessidades do individuo, as necessidades das plantas e, finalmente, as necessidades do nosso planeta Terra. Certos agricultores "bem sintonizados" desde a pré-história têm entendido que a própria Terra tem utilizado todas as técnicas à sua disposição, para esmagar pedras nos solos a fim de criar variabilidade mineral, de modo que todas as plantas possam crescer em forma saudável. Tais processos incluem correntes marinhas, erosão, atividade vulcânica, terremotos, movimentos cataclísmicos da crosta terrestre e fenômenos de glaciação bem como a ação de liquens e musgos sobre as pedras e solos da floresta.
Numerosos estudos (Schuphan, et al.) têm concluído que os produtos cultivados organicamente em solos ricos em carbono e nitrogênio, que contêm quantidades significativas de minerais, sem produtos químicos, e melhor ainda, regados com solução diluída de água do mar (o mar contém todos os minerais) e enriquecidos com pedras moídas, promovem o desenvolvimento de sistemas imunes saudáveis.
Estas plantas são, de forma natural, suficientemente fortes para resistir à insetos que provocam danos nos cultivos convencionais mais fracos, eliminando-se assim a necessidade do uso de pesticidas químicos. Mais uma vez, seguindo a lógica do princípio de que você é aquilo que come, quando consumimos vegetais com sistemas imunes saudáveis, ricos em minerais e livres de toxinas químicas, nós nos tornamos ricos em minerais com sistemas imunológicos saudáveis e níveis baixos de toxicidade.





David Wolfe, JD - Criador do Programa de Longevidade AGORA, atualmente em sua segunda edição. Autor de 'Superalimentos - alimentos e medicamentos do futuro' (Editora Alaúde), Graça Divina, Alimentar-se para Rejuvenescer, Chocolate em bruto, e O Sistema de Sucesso da dieta solar.


Alimentar-se para Rejuvenescer - Parte 2





Os efeitos de minerais nas Enzimas

Devido à crescente popularidade da nutrição, na última década, com alimentos crus e vivos, muita discussão tem sido gerada sobre o tema das enzimas e do importante desempenho em nosso organismo. As enzimas podem ser consideradas o aspecto mais singular dos alimentos crus vivos. porque são catalisadores que permitem não apenas a digestão adequada dos alimentos em si, mas também o bom funcionamento metabólico de cada uma das nossas células. E, a quantidade de enzimas que temos em nosso metabolismo e reservas se correlacionam diretamente com a nossa vitalidade.
A maior parte das pessoas que se iniciam no crudovorismo logo descobre que as enzimas presentes nos alimentos são destruídas no ato da cocção. A temperatura crítica está na faixa de 49 a 77 graus Celsius. Portanto, quando o alimento é cozido, perde suas enzimas próprias (endógenas) e o organismo tem que tirar de suas reservas as enzimas, para realizar o processo digestivo. Este fato traz como conseqüência uma deficiência enzimática, contínua, do organismo, prejudicando o bom desempenho do metabolismo e toda a vitalidade.
Cada célula do organismo humano tem mais de 4.000 tipos de enzimas adormecidas, esperando para serem ativadas. Para se tornarem ativas, é necessário que estejam presentes no processo tanto os minerais principais como também os minerais secundários. A maior parte das pessoas nunca ativa completamente todas as suas enzimas devido à falta dos minerais necessários para fazê-lo.
Nosso objetivo então é garantir que cada célula tenha os minerais e nutrientes necessários para ativar suas enzimas. Quando somos capazes de fazer isso, aumentamos a carga eletromagnética das nossas células. Cada célula pode se tornar assim uma fábrica de enzimas turbinadas. Ao nível celular, isto retrata a essência da saúde: cada célula ressonante, capaz de transformar qualquer nutriente que seja necessário usando enzimas especializadas e prontamente.
O papel dos minerais no balanço ácido / alcalino
A maioria dos especialistas no campo da nutrição aceita que um bom equilíbrio ácido/alcalino no interior de nosso organismo é fundamental para uma boa saúde e vitalidade. Nosso organismo constantemente se esforça para manter equilíbrios de vários tipos. Por exemplo, nossa temperatura (em torno de 37°C), nossa pressão arterial (em torno de 11/8) e a freqüência respiratória se mantêm dentro de certos parâmetros. Da mesma forma nosso organismo também se esforça para manter equilibrado nosso pH que é a medida de acidez e alcalinidade.
A faixa de pH ideal do nosso sangue é 7,35-7,42. Outros tecidos do organismo podem ser levemente alcalinos ou ácidos, uma boa regra de ouro é apontar para um pH geral igual a 7.0 (neutro). Quando o organismo está excessivamente ácido (entre0 e 6,9), com o tempo ele vai começar a se deteriorar. Imagine o efeito da corrosão que a chuva ácida tem sobre a estrutura de um edifício. Isso não é muito diferente da corrosão que ocorre no nosso organismo quando estamos em um estado excessiva e constantemente ácido. Nós podemos ajudar nosso organismo a atingir níveis adequados de pH mediante a escolha responsável e consciente dos alimentos que consumimos.
O organismo precisa tanto de alimentos na forma ácida como alcalina, para manter um equilíbrio adequado. É importante observar que os alimentos ácidos, por si só, não são ruins. O problema que ocorre para a maioria das pessoas é que elas consomem dietas muito ricas em alimentos que geram acidez e deficientes em alimentos que promovem a alcalinidade. É necessário ingerir alimentos que se complementem com o objetivo de manter o equilíbrio: alimentação balanceada.
O principal fator que determina quando um alimento é ácido ou alcalino é o seu conteúdo mineral. Os alimentos ricos em substâncias minerais alcalinizantes, como cálcio, magnésio, silício, ferro, ou os elementos Ormus, gerarão alcalinidade no organismo. Os alimentos ricos em substâncias minerais ácidas, como o cloro, fósforo, iodo, ou nitrogênio, gerarão acidez no organismo.
Os minerais podem ser encontrados em diferentes partes de cada planta. Eles se fixam e formam estruturas em diferentes lugares dentro da planta, como folhas, raízes, caules ou sementes. Como exemplo, podemos ver este princípio demonstrado claramente na análise do trigo. A casca de uma planta de trigo maduro pode conter entre 67% a 87% da sílica total da planta, que é um mineral que gera alcalinidade. A semente do trigo, entretanto, não contém sílica alguma. Por outro lado, esta mesma semente contém fósforo em abundância, muito mais do que qualquer outra parte da planta, que é um mineral gerador de acidez.
Quando começamos a olhar para este conceito definido como ‘o princípio diretivo mineral’ (no meu livro "Eating for Beauty" – “Comer para Rejuvenescer”) vamos começar a perceber que diferentes minerais se concentram em diversas partes da mesma planta ou animal. Por exemplo, folhas, caules, flores e cascas de sementes tendem a concentrar os minerais alcalinizantes. Raízes e sementes tendem a concentrar os minerais geradores de acidez. Em alimentos de origem animal, a acidez é encontrada nos músculos (carne) e a alcalinidade é encontrada nos ossos, músculos e ossos; ou sejam, devem ser balanceadamente ingeridos para que um carnívoro mantenha o equilíbrio ácido-alcalino.
Os alimentos que geram acidez incluem nozes, sementes, grãos, frutos doces e produtos hortícolas doces, como a cenoura e a beterraba. Outros alimentos pertencem a um grupo mais neutro, significando que eles não promovem acidez ou alcalinidade. Este grupo inclui alimentos, tais como algas, pepinos, tomates, pimentões, maçãs verdes, frutos silvestres, quiabo e a maior parte dos melões. No outro extremo do espectro, encontramos que os alimentos cultivados na terra como ervas e hortaliças, que são os melhores geradores de alcalinidade.
Notar que o sistema aqui empregado é diferente dos gráficos ácido-alcalino encontrados em alguns livros sobre o assunto, particularmente o livro do Dr. Young “pH Miracle, Alkalize or Die" (“O milagre do pH, alcalinizar o morrer”) e outros. Estes livros categorizam os alimentos que contem potássio como sendo geradores de alcalinidade, e eu discordo. Este problema faz com que estes autores categorizem erradamente muitos alimentos, como as nozes e os grãos, classificando-os como alcalinos quando eles não são.
A maneira mais fácil de lembrar dos alimentos geradores de ácidos é usando a regra geral: "raiz, semente, músculo," Infelizmente, esta é a dieta básica da civilização atual. Aqueles que não têm este conhecimento tendem a consumir hambúrgueres e frituras, ou sanduíche com batatas fritas como refeição normal. Neste exemplo, a massa é a semente (grão), as batatas fritas são as raízes, e o hambúrguer é o músculo. Mesmo os vegetarianos podem cair nessa armadilha, comendo pratos de feijão e arroz, que nada mais é do que uma taça cheia de sementes. Todos os alimentos alcalinos, super-alimentos, e as ervas devem estar presentes para gerar o equilíbrio ácido-base ligeiramente alcalino.
Mesmo com uma dieta alimentar natural crua e viva, a idéia é sempre gerar um equilíbrio, escolhendo os alimentos que se complementam entre si. Você pode desfrutar de um prato de biscoitos desidratados feito de nozes e sementes coberto com abacate. Essas opções sozinhas fazem uma refeição geradora de ácidos. No entanto, salpicando alguns flocos de algas na parte superior do abacate e incluindo uma salada de folhas verdes com este prato, você agora está complementado o os alimentos formadores de ácidos com alimentos que irão promover a alcalinidade.
Usando o suco de gramíneas para mineralizar rapidamente o organismo
Uma excelente maneira rápida e econômica de mineralizar o organismo é através do uso de sucos de gramíneas, como o trigo-grama, a cevada e as ervas silvestres. As gramíneas são uma das poucas plantas que têm a capacidade de absorver todos os minerais presentes no meio de cultivo. Na maioria das vezes esse meio é o solo, mas o trigo também pode ser cultivado usando o sistema hidropônico.
Uma maneira de garantir o conteúdo ideal de substâncias minerais no solo ou no sistema hidropônico para o crescimento do trigo é adicionando água do oceano. A água do oceano é uma excelente fonte para todos os minerais, incluindo os elementos minerais Ormus. Nesta técnica, a água do mar é diluída e a seguir introduzida nos meios de cultura, tais como o solo. Desta forma, o trigo irá absorver todas as 90 substâncias minerais presentes na água do oceano. Uma relação de diluição de uso comum é de 20 partes de água de chuva para uma parte da água do oceano. Contudo, as taxas de 30:1 ou 40:1 ou mesmo 100:1 para uso homeopático - têm sido também utilizados de forma eficaz.



Alimentar-se para Rejuvenescer - Parte 3





Gerando beleza pela mineralização
Por David Wolfe
Ficar mais bonito é outro efeito colateral da mineralização de organismo para alcançar uma saúde radiante. Em particular, há cinco elementos que formam compostos minerais que favorecem a geração de uma aparência física perfeita, estes são: magnésio, silício, zinco, enxofre e ferro.
A Importância do Magnésio
O magnésio, um dos elementos mais importantes para o nosso organismo, é também um dos mais deficientes na alimentação moderna. De fato, estima-se que perto dos 80% da nossa população é deficiente em magnésio, seguido de perto por deficiências em cromo e ferro. Para se ter uma idéia das propriedades do magnésio, considere os seguintes efeitos terapêuticos:
• acalma os nervos
• útil no alívio de sintomas da TPM
• harmoniza os desequilíbrios mentais e emocionais
• diminui a irritabilidade
• melhora os distúrbios do sono
• aumenta a saúde dos ossos
• relaxa os músculos
• ajuda na digestão, agindo como um laxante
• alivia as enxaquecas
• alivia as cólicas ou espasmos
• ajuda no desequilíbrio do açúcar no sangue
• vital para o bom funcionamento do nosso músculo cardíaco
Os alimentos verdes ricos em clorofila têm alto conteúdo de magnésio. Este mineral essencial é encontrado também em quantidades excepcionalmente elevadas em grãos de cacau cru e de produtos do cacau (chocolate cru e produtos de chocolate cru). O cacau cru, que é o chocolate na sua forma natural, é na verdade uma noz. Além de ser a mais rica fonte de magnésio de qualquer alimento, o cacau cru é a principal fonte de cromo, uma das melhores fontes de ferro, e também é rico em zinco, cobre e manganês. Estas são apenas algumas razões pelas quais as pessoas se sentem bem nutridas quando consomem este incrível alimento.
Os segredos da alquimia do silício
O silício pode ser encontrado nos nossos vasos sanguíneos, ossos, cartilagens, tecido conjuntivo, cabelo, ligamentos, pulmões, gânglios linfáticos, músculos, unhas, pele, dentes, tendões e traquéia. Os ossos em crescimento e em processos de cura têm mostrado conter altos níveis de silício. O silício também favorece os dentes fortes e a formação de uma mandíbula sadia e forte. O silício permite a flexibilidade e elasticidade de nossos músculos e tecidos. A quantidade de silício no colágeno da nossa pele diminui com a idade.
Através do processo de transmutação biológica, o organismo tem a capacidade de transformar o silício em cálcio. A transmutação biológica é o processo alquímico desempenhado pelo organismo que permite que uma substância seja transformada em outra. Esta teoria viola a lei de Lavoisier, formulada cientificamente por primeira vez pelo recente candidato ao prêmio Nobel, o professor francês CL Kervran em seus cinco livros e cinco mil páginas de anotações de pesquisas, as quais têm sido resumidas e traduzidas ao inglês no trabalho conhecido como Transmutações Biológicas.
Quando criança, Kervran percebeu que as galinhas bicavam incessantemente as placas de mica espalhadas pelo chão e perguntou-se por que nunca bicavam os grãos de areia. Mais tarde ele iria perceber a mãe na cozinha cortando e abrindo a moela dos frangos, aparecendo apenas pequenas pedras e areia, mas nunca a mica. Mais tarde, ele descobriu que a mica era uma substância que contém potássio e sílica e que era transformada em cálcio.
Os alimentos ricos em silício incluem a alfafa, brotos de bambu jovem, seiva de bambu, pimentões, raiz de bardana, pepinos, folhas de cânhamo, cavalinha, lovage, manjerona, folhas adultas de capim, urtiga, espinafres da Nova Zelândia, cacto Nopal, aveia, rabanete, alface romana, tomate e plantas verdes tenras da primavera.
Os sinais de deficiência de silício incluem pele deteriorada, unhas e cabelos quebradiços, cáries dentárias, ossos fracos, tendões e ligamentos fracos, aterosclerose, osteoporose e doenças pulmonares.
Os segredos da beleza alquímica do enxofre
O enxofre é um elemento químico fundamental para a beleza. Ele pode ser considerado como o melhor cosmético do mundo. A ingestão adequada de enxofre é importante na geração de cabelos belos, unhas e pele. Ele tem a capacidade de transformar a pele, especialmente do rosto, dando-lhe uma suave tonalidade luminosa.
O enxofre pode ser a chave para ajudar as pessoas em certos tipos de acne. O enxofre ajuda a amaciar e embelezar a pele e no processo de cicatrização e nas marcas deixadas pela acne.
O enxofre é responsável por fazer que nossos cabelos, unhas e pele brilhem com esplendor. Os cachos do cabelo dependem das uniões enxofre-enxofre do aminoácido cistina.
O enxofre é também um poderoso desintoxicante que ajuda a aliviar a dor e a inflamação, auxiliando no processo de desintoxicação das nossas células. Pode reduzir a síntese do ácido lático, ajudando a aliviar as cãimbras e espasmos musculares das pernas e das costas.
Boas fontes de alimentos com resíduos de enxofre incluem aloe vera, noni, rúcula, pólen de abelha, algas azuis e verdes, brócolis, couve de bruxelas, repolho, alho, sementes de cânhamo, rábano, pimentão, pimentão ardido, couve, cebola, sementes de abóbora, rabanete, espirulina, e agrião.
Os sintomas de deficiência de enxofre incluem acne, artrite, cabelos quebradiços, unhas quebradiças, transtornos gastrointestinais, disfunção do sistema imune, lesões musculares persistentes, perda da memória, erupções cutâneas, cicatrizes e cicatrização lenta. Os sintomas de deficiência de enxofre são muitas vezes qualificados erradamente como "deficiência de proteínas".
Os segredos da beleza alquímica do Zinco
O zinco atua principalmente através das enzimas. A atividade da enzima antioxidante superoxido dismutase (SOD), a qual é um poderoso antiinflamatório, é dependente do zinco. O desenvolvimento sexual, a saúde do nosso sistema reprodutivo, a fertilidade, a visão noturna, e o embelezamento da nossa pele também dependem de ter uma boa quantidade de zinco disponível.
O zinco é um componente fundamental de um grupo de enzimas que ajudam ao organismo a manter o suprimento de colágeno. O colágeno é essencial para uma aparência saudável da pele do rosto e dos tecidos do organismo para permanecerem jovens. O zinco deve estar presente para que as enzimas consigam digerir o colágeno danificado e reconstruir um novo colágeno. O zinco também é útil para reduzir os sinais externos do envelhecimento, prevenção de rugas e estrias, o alívio de queimaduras, e até mesmo o reparo do DNA devido à exposição aos raios X e à radiação.
O zinco é mais facilmente absorvido depois de ter feito uma desintoxicação dos metais pesados do organismo mediante o uso regular de MSM (metil sulfonil metano), coentro, algas chlorella, e produtos de desintoxicação zeolíticos.
As melhores fontes de zinco, as quais devem ser comidos crus, incluem algas, cacau, sementes de papoula, sementes de abóbora, nozes, castanhas, noz macadâmia, semente de girassol, gergelim, coco, ou mesmo zinco líquido em pequeníssimas doses.
Os sintomas de deficiência de zinco incluem: acne, perda do paladar e do olfato, o crescimento lento em crianças, alopecia, erupções cutâneas, doenças da pele, esterilidade, baixa contagem de espermatozóides, cicatrização demorada, atraso na maturação óssea, diminuição do tamanho dos testículos e visão deficiente.
Se o zinco é obtido a partir dos alimentos, é quase impossível provocar uma overdose, porque se encontra em traços. No entanto, é importante notar que os suplementos de zinco podem produzir sintomas tóxicos se tomados por um período prolongado em doses que ultrapassem os 150 mg/dia. Os sinais e sintomas da ingestão de uma superdose de zinco incluem a diminuição do cobre no sangue, sonolência, letargia, vertigens, dificuldade com a escrita, agitação e vômitos.
Os segredos da beleza alquímica do Ferro
Sangue rico em ferro produz uma tonalidade de suave incandescência e beleza quase transparente. Sangue rico em ferro é a fonte do magnetismo (carisma). É considerado o elemento mais ativo no sistema humano e, portanto, precisa ser reabastecido com freqüência.
Em termos de estrutura molecular, a hemoglobina do nosso sangue é quase idêntica à estrutura da clorofila das plantas. No centro da molécula da hemoglobina encontramos o ferro, no centro da molécula de clorofila encontramos o magnésio.
Dois terços do ferro encontrado no organismo estão no sangue. O sangue, rico em ferro, transporta o oxigênio pelo organismo. Ele gera uma corrente de sangue magnética e uma corrente de indução eletromagnética nas espirais nervosas que passam através das paredes das artérias e das veias ajudando a ativar os componentes do sangue.
Os melhores alimentos ricos em ferro são o xarope de raiz de yacon, produtos do cacau, espirulina, alcachofra de Jerusalém, cebola, raiz de bardana, cerejas, amoras, couve, alface jovem, urtiga, salsa, cebolinha, espinafre, acelga jovem, ervas, a maior parte das hortaliças de folha verde, todas as variedades de berrys vermelhos e algas marinhas. A carne vermelha é vermelha devido ao conteúdo de ferro do sangue.
Os sintomas de deficiência de ferro podem incluir anemia, tonturas, fraqueza, fadiga e intolerância ao frio. Engolir gelo picado sem saciedade é freqüentemente considerado um sintoma de deficiência de ferro.
Conclusão
A descoberta da importância fundamental da mineralização nos leva à percepção de que nossa saúde pode ser melhorada radicalmente consumindo e cultivando alimentos ricos em substâncias minerais. Levando isto um passo mais adiante, torna-se claro que o nosso estado de consciência está intimamente relacionado com nosso nível de mineralização.
Uma adequada e abundante mineralização geram em forma natural estados de consciência prósperos. Deficiências minerais geram estados de consciência carentes.
Nós estamos vivendo no período mais incrível de todos os tempos. Temos acesso aos melhores alimentos, aos melhores suplementos e as melhores informações. Use sua inteligência, porque agora, como nunca antes, você pode acessar os melhores minerais e os melhores alimentos. Vamos os mineralizar, alcançar o nosso pleno potencial e desfrutar do melhor de cada dia!


David Wolfe, JD - Criador do Programa de Longevidade AGORA, atualmente em sua segunda edição. Autor de 'Superalimentos - Alimentos e medicamentos do futuro' (Editora Alaúde), Graça Divina, Alimentar-se para a Beleza, Chocolate em bruto, e O Sistema de Sucesso da dieta solar.
http://www.longevitynowprogram2.com
www.earthingyou.com www.thebestdayever.com
www.ftpf.org

Postagens mais visitadas deste blog

MACA PERUANA E FERTILIDADE

Maca Peruana para melhorar a fertilidade?
Você já ouviu falar em Maca Peruana? Não! Pois bem, a Maca peruana é uma planta originária dos Andes, que parece um rabanete e cresce no alto das cordilheiras. Acredita-se que esta planta, cujas plantações sobrevivem em ambiente inóspito por cerca de 500 anos, tem uma boa ação como fortificante, revitalizante e aumenta a fertilidade das pessoas que a consome. Infelizmente ainda são poucos os estudos científicos comprovando os efeitos benéficos da Maca, entre eles estaria também o seu efeito como hipoglicemiante, tendo em vista que trata-se de uma planta rica em fibras. Segundo o endocrinologista Gustavo Gonzales, que tem a maioria dos artigos publicados sobre a maca, afirma que a planta tem realmente um bom potencial como afrodisíaco, mas que vai além, aumentando a contagem de espermatozoides nos machos e diminui a mortalidade dos embriões em fêmeas, ou seja, aumenta a FERTILIDADE. A maca é muito indicada para as pessoas que sofrem com a falta de…

DIETA DA GOJI BERRY EMAGRECE ATÉ 2 KILOS POR SEMANA : O NOVO SUPERALIMENTO DA MODA

Goji berry ajuda a queimar calorias / Foto: Shutterstock

Dieta da goji berry emagrece até 2 kg por semana
publicado em 30 de de agosto 2012 por Helena Dias Por Naiara Albuquerque
A goji berry ainda é uma novidade em terras tupiniquins, mas há milhares de anos a fruta é cultivada e adorada pelos orientais. Os chineses, por exemplo, gostam tanto dela que  organizam festivais anuais e até ergueram uma estátua em homenagem ao cultivo das árvores dagoji berry. O produto, originário da região sul da Ásia – China, Tibete e Índia –, começa a ganhar adeptos por aqui de olho nos componentes naturais que ajudam a queimar a gordura acumulada nas regiões dabarriga, da coxa, do bumbum e dos culotes, evitam o envelhecimento precoce da pele e ainda aumentam a imunidade. Com uma lista de propriedades enorme, ela se destaca pela alta concentração de vitaminas: cada 100 gramas, ou 1 xícara (chá), de goji seca contém 2.500 miligramas de vitamina C, uma quantidade 50 vezes maior que uma laranja. Para comprovar o…

AS MÚLTIPLAS FUNÇÕES DA MACA

Recém- chegada no Brasil, a Maca é o nutritivo superalimento dos Andes
e já está disponível na Mundo Verde
O elevado valor nutricional faz da Maca Peruana um poderoso superalimento, com alto teor de carboidratos, fibras, proteínas, lipídeos (ácido linolênico, ácido palmítico e ácido oleico), minerais, como cálcio, magnésio, fósforo, potássio, zinco, selênio e ferro, e vitaminas B1, B2, C e E. O tubérculo com formato semelhante ao do rabanete é um dos alimentos mais nutritivos que existem. “Os diversos nutrientes do Ginseng do Andes, como também é conhecido este superfood, atuam na prevenção e tratamento de algumas doenças”, afirma Thais Souza, nutricionista da rede Mundo Verde. A maca é nativa do local com menos quantidade de vegetação e mais alto da Cordilheira dos Andes, extraída de uma altitude superior a 4 km, onde as temperaturas são extremas – com calor intenso pela manhã a noites frias com geadas e ventanias, e o oxigênio é escasso. Auxilia na prevenção e tratamento de doenças card…